About Me

O fator Logístico

Luís Sérgio Lico*: Ninguém consegue viver sem produtos, insumos e suprimentos e por isso, dizemos que quando falta ou atrasa algo, foi um problema logístico. Este conceito está no dia-a-dia das pessoas e empresas. Porém, se quisermos dar uma panorâmica sobre sua importância, antes é preciso fazer uma distinção entre logística e transporte. A primeira é o sistema, o segundo é um dos mecanismos de sua efetivação. O transporte é o mais importante dos processos logísticos, que por movimentar materialmente produtos de um ponto a outro, acaba sendo seu lado mais visível, pois concretiza (ou não) a entrega das mercadorias.

Assim, se a pizza chegar fria, pode ter sido apenas um problema de transporte. Agora, se não houver o cálculo do roteiro, abastecimento, gestão de frota e o planejamento da distribuição, aí sim, podemos falar em erro logístico.

A logística é a área da gestão responsável por prover recursos, equipamentos e informações para a execução de todas as atividades de uma empresa. Por definição é a parte estratégica do gerenciamento de toda a cadeia de abastecimento, também o planejamento e controle de roteiros, mão de obra, armazenagem e seus fluxos. Isto, desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o propósito de atender às exigências dos clientes em tempo determinado, incluindo o tráfego no sentido inverso. Não é pouco. Aliás, arriscaríamos dizer que sobre ela se assentam as bases produtivas da economia, que não podem prescindir deste ordenamento modal.

Sua existência é vital para qualquer coisa que se pense, pois tudo precisa ser deslocado e transformado, para poder ser consumido. A logística apresenta-se hoje como uma formidável ferramenta para a criação de vantagens competitivas nas organizações, uma vez a tendência mundial de comoditização. Os ambientes globalizados precisam de trocas eficientes e eficazes de produtos e mercadorias, que circulem por canais internacionais, locais e regionais bem alinhados. Também é necessário frisar a questão dos custos e encargos, outro fator de grande preocupação.

Hoje, vive-se um momento de grande pressão por desenvolvimento e integração. Este cenário é caracterizado, por um lado, pela busca de competitividade, tecnologia, nichos, ofertas e entregas adequadas às expectativas dos clientes. De outro, pela necessidade de se encontrar diferenciais que não estejam diretamente ligados à produção ou aquisição e facilitem o escoamento.

No caso, um entrave tipicamente brasileiro a este pensamento sistêmico, foi o sucateamento das ferrovias, que fragilizou a distribuição nacional, que embora euforicamente suprida pelo setor rodoviário, ao longo do tempo, fez surgir o anátema da proliferação das praças de pedágio e diferenças fiscais, encarecendo muito o custo final dos produtos transportados. A procura agora é por soluções.

Neste quadro a logística é assunto tão importante, que se as organizações passam a enxergá-la como prioridade em suas estratégias, conseguem como resultado a superação das expectativas, e conseqüentemente um melhor posicionamento no mercado. Os benefícios são a conseqüência direta da visão integrada e sistêmica de todos os processos, pois a ausência do conceito faz com que cada área ou departamento pense e trabalhe de forma isolada e estanque.

Isto gera conflitos internos pelo poder e faz com que os maiores concorrentes de uma empresa estejam dentro dela própria. Fica difícil fazer com que as coisas se movimentem de maneira adequada, caso não se consiga enxergar as ligações e sinergias envolvidas. Aqui não cabe motivação, mas processo. Como visto, são fundamentos que podem ser úteis até para a gestão do clima das organizações.

Outro ponto positivo originado pela logística é a cultura de avaliações por meio de indicadores, que são ferramentas gerenciais essenciais para o aumento da sinergia entre fornecedor, empresa, colaboradores e consumidores, através do compartilhamento de informações relevantes para o nível de serviço desejado. Cada vez mais, as empresas estão entendendo que receber e entregar no prazo pretendido é tão importante quanto produzir e vender. Como estratégia empresarial, ela atua diretamente sobre pontos-nevrálgicos do desempenho empresarial, tais como rentabilidade, imagem, tempo e custo.

Desta forma, compreender a importância do sistema logístico significa olhar para o que queremos. No âmbito interno, os principais pontos do fluxo de informações e materiais. No âmbito externo, a entrega ou devolução do que foi solicitado, seja do produto, serviço ou das promessas que eles contém. O que se aponta é um caminho para chegarmos a integração total, que é a condição em que as operações encontram-se em seu estado de arte.

*PORTAL DO MARKETING | Luís Sérgio Lico é palestrante e conselheiro organizacional; mestre em filosofia e especialista em Gestão do Comportamento. Autor dos Livros: O Profissional Invisível e Fator Humano.